Entenda aqui como planejar um negócio de entrega de alimentos

16 minutos para ler

1. Introdução

O setor alimentício está em constante mudança para acompanhar as tendências do mercado. Em meio à pandemia do novo coronavírus — causador da doença contagiosa COVID-19 —, que chegou ao Brasil neste primeiro semestre de 2020, uma questão ganha força entre os empreendedores do food service é: “Como posso montar um negócio de entrega de alimentos?”

Pensando nisso, este texto traz as principais informações para montar um negócio de delivery ou adicionar esse serviço ao seu negócio já existente, criando mais um canal de vendas. Você descobrirá, ainda, como planejar a abertura de um serviço como esse, quais são os custos envolvidos nesse processo e como definir o cardápio a ser comercializado.

Além disso, você vai aprender como deve ser a divulgação do seu negócio, quais são as ferramentas de gestão disponíveis, quais erros devem ser evitados, como estabelecer contato com os clientes, que embalagens escolher e, principalmente, como lidar com o serviço de delivery em tempos de pandemia e quarentena para contenção do contágio viral.

Dicas simples e práticas são ferramentas incríveis para o pequeno negócio se reinventar durante o período de crise causado pelo vírus. Por isso, oferecer entrega de refeições e salgados, contratar entregas de bicicleta para locais próximos e utilizar outros recursos mais baratos fazem o capital girar e a sua empresa superar as dificuldades.

Ficou curioso, não é? Então, comece a leitura agora mesmo e tire as suas dúvidas sobre esse tema tão atual!

2. Como planejar a abertura de um negócio de entrega de alimentos?

Para aumentar as suas vendas, o planejamento financeiro será uma estratégia necessária para evitar erros e focar em um propósito. Nesse sentido, você deve elaborar um plano de negócios, documento que vai estabelecer os principais objetivos da sua empresa e coloca algumas metas a serem cumpridas em determinado prazo.

A gestão administrativa inclui, também, a definição de recursos financeiros e humanos para tornar o plano que você criou de delivery efetivo e sustentável. Assim, a dica é reunir todos os tipos de investimento que você faz, desde o gasto com material até o pagamento de colaboradores, incluindo despesas com equipamento e maquinário.

Para além desse plano de negócios, você pode realizar pesquisas junto ao público e verificar o quão viável é a aposta no serviço de entrega de comida para você. Igualmente, é importante descobrir quem são os principais concorrentes do seu negócio no setor e como o mercado local está reagindo a essa tendência.

Após determinar um plano de negócios efetivo e entender o seu público com base nas pesquisas que você fez pela internet, você deve conferir a documentação necessária para aderir ao delivery. Para isso, é preciso ter em mãos os seguintes documentos:

  • comprovante de residência;
  • folha espelho do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) quitado;
  • comprovante de pagamento do IPTU do imóvel;
  • cópia do contrato de locação ou compra e venda do seu negócio;
  • cópia do CPF e RG do proprietário do estabelecimento.

Com a documentação em dia, você deve se preocupar com a compra de itens para o serviço de delivery, como embalagens e sacos de papel. Isso porque, a depender do tamanho do negócio, o número de pedidos tende a crescer.

Entretanto, antes de operar com a entrega de comida no seu negócio, encontre uma forma de manter o padrão de qualidade dos seus produtos, apostando na agilidade de preparo e envio.

Por fim, ao se planejar para o novo momento de operação na sua empresa, pense com cuidados nos entregadores. Os entregadores são imprescindíveis para o sucesso dessa empreitada, uma vez que estabelecem o contato entre o negócio e o cliente, contribuindo ativamente para o ciclo de vendas. Você pode contratar esses entregadores ou ingressar em um aplicativo para ter uma entrega terceirizada.

3. Como definir o cardápio para as entregas?

Até o momento, você entendeu como um plano de negócios é útil para o planejamento de abertura ou inclusão desse novo serviço de entregas. Ao mesmo tempo, descobriu que o serviço de entrega de alimentos deve envolver compra de novos itens, contato com colaboradores e a quitação de impostos do imóvel, por exemplo.

Contudo, a questão que fica é: como definir o cardápio para as entregas? A dica, antes de escolher definitivamente o cardápio a ser operado no delivery, é fazer a seguinte check-list:

  • comece pensando sobre o tipo de negócio que você tem;
  • analise o que é mais prático e rentável para o estabelecimento;
  • perceba quais são os gostos dos seus clientes, os mais pedidos;
  • confira o orçamento disponível para ter variedade de produtos, garantindo uma gestão de estoque eficiente;
  • observe o que outros negócios estão oferecendo.

Atente para as informações que você vai divulgar sobre seus alimentos, pois elas chamam (ou não) a atenção do público. Após ler a descrição de cada item, os consumidores podem se sentir atraídos pela lista de opções ou, por outro lado, podem procurar por outro local.

Portanto, na hora de montar o cardápio de delivery, perceba com que tipo de comida o seu estabelecimento já trabalha. Lembre-se, também, de separar os itens ofertados por categorias, como lanches, refeições, sobremesas e bebidas, por exemplo.

Ainda que montar o cardápio a ser servido dê trabalho, essa etapa deve ser feita com bastante atenção. Isso porque as escolhas podem ajudar os clientes a decidir o pedido e agilizar o preparo e separação, que deve ser feito com qualidade e em pouco tempo.

4. Como divulgar o serviço de entrega de comida?

Após a definição do cardápio, você deve pensar nas formas de divulgação da nova aposta do seu negócio. Isso porque seus clientes precisam conhecer os produtos a serem ofertados pelo seu novo serviço delivery.

É importante divulgar o novo serviço no site e/ou nas redes sociais (Facebook, Instagram e WhatsApp) da sua empresa, para que chegue até as pessoas que já confiam e consomem os seus produtos. Ao elaborar material de divulgação virtual, deixe bem claro a novidade e aposte em boas e atrativas fotos dos lanches.

Para ampliar o seu engajamento na internet, outra dica é investir em anúncios pagos, isto é, contratar os serviços de empresas, como Facebook e Instagram, para divulgar o seu estabelecimento para mais pessoas. O melhor de tudo é que você nem precisa de um orçamento mensal muito alto para fazer esses anúncios, com R$ 20 já é possível aumentar o alcance da sua divulgação.

Para ampliar sua compra, outra estratégia viável é criar um plano de fidelidade, que pode oferecer benefícios para os consumidores constantes, como ganhar um salgado gratuitamente (ou com valor parcialmente reduzido) depois de comprar um número “x” de itens. O modelo serve para reconhecer os consumidores fiéis da marca, recompensando-os pelo retorno.

Por fim, oferecer cupons de desconto, sempre que possível, é uma estratégia de marketing para o público conhecer o seu novo serviço de delivery. Dessa forma, ainda que tenha que reduzir custos internos e lucrar menos com as vendas, você consegue ter uma ampla divulgação do seu empreendimento alimentício e, possivelmente, a fidelização do público-alvo.

5. Quais ferramentas de gestão utilizar no negócio?

Na rotina do seu negócio, algumas ferramentas de gestão ajudam a controlar o fluxo de caixa, os insumos guardados em estoque e a satisfação dos clientes com o seu estabelecimento, por exemplo.

O controle financeiro é uma área primordial em cafeterias e lanchonetes que desejam apostar no serviço delivery. Por isso, para ter dimensão sobre os lucros e as despesas do negócio, a sugestão é desenvolver uma planilha, em softwares como o Sischef, que permitem registrar as trocas comerciais do seu food service diária e mensalmente.

Para ter estoque bem abastecido, ferramentas de controle do armazenamento são úteis para a loja. A depender do software (seja focado no setor de food service, como o GestãoClick, ou MarketUp – um Sistema de gestão gratuito para micro e pequenas empresas), você consegue controlar a validade e identifica qual alimento corre mais risco de faltar na prateleira, agilizando o contato com fornecedores.

E por fim, monitorar as mídias sociais é uma das maneiras mais eficientes de compreender o que os consumidores estão falando do negócio. Por isso, a recomendação é ficar atento às informações que o Instagram e o Facebook fornecem gratuitamente sobre os seus seguidores, para que você entenda melhor o comportamento do seu público.

6. Quais são os 3 erros que devem ser evitados?

A gestão de negócio é um passo importante para você ser bem-sucedido no serviço de delivery do seu food service. Porém, ficar atento para não cometer erros comuns (como atraso de pedido, alimentos frios ou de má qualidade e problemas com atendimento ao consumidor) na entrega de comida em domicílio é essencial. Veja a seguir como evitar esses erros!

6.1 Enviar pedidos com atraso

O tempo de entrega do pedido é um dos fatores mais relevantes para o serviço de delivery. Isso porque os clientes desejam se alimentar rapidamente no conforto da sua casa.

Nesse sentido, atrasar o pedido é uma falha bastante considerável no serviço de entregas. Ao cometer esse erro, você pode comprometer para sempre a relação com o consumidor, o qual pode desistir ou cancelar o item pedido, gerando dor de cabeça e gastos desnecessários para a empresa e os entregadores. Analise bem o tempo de entrega para tentar sempre atender às expectativas do consumidor.

6.2 Oferecer comida estragada

A gestão deve dar conta do padrão de qualidade dos insumos fornecidos, da preparação dos alimentos e de todo o processo até chegar ao produto final. O motivo é que ninguém quer receber em casa uma refeição ou lanche mal preparado ou até mesmo estragado, não é mesmo?

Logo, tenha cuidado para controlar a qualidade do produto a ser entregue ao cliente via delivery. Verifique se todos os itens oferecidos constam no pedido final e se o produto está em boas condições para o consumo.

6.3 Errar no atendimento ao consumidor

O serviço de atendimento ao consumidor é um dos pontos que registram mais queixas dos clientes, já que podem causar ruídos na comunicação e atrapalhar a entrega de pedidos.

Para não cometer essa e outras falhas, converse com quem trabalha com você e garanta que a forma de lidar com o público siga um padrão. Além disso, mantenha valores como a honestidade, o respeito e a agilidade.

7. Como estabelecer contato com os clientes?

Para empresas que trabalham com entrega de comida, o contato com os clientes é essencial, uma vez que essa relação se desenvolve à distância. Então, você deve oferecer uma imagem sólida sobre o seu negócio e passar confiança para o público comprar os seus produtos.

Uma dica de sucesso para lidar com os clientes é construir um cadastro eficiente, que registre as informações pessoais (nome, telefone, endereço, formas de pagamento etc.) em um banco de dados, pode ser até uma planilha de excel, a princípio. O método dispensa o recadastramento a partir da segunda compra, agilizando o processo e aumentando a segurança do consumidor sobre o seu negócio.

O atendimento ao cliente depende, também, da plataforma de comunicação utilizada pelo empreendimento de food service. Para ganhar tempo, você pode usar o próprio whatsapp ou telefone ou também investir no desenvolvimento de um site ou optar pelos aplicativos.

Ao final, é importante avaliar o nível de satisfação do cliente em relação ao produto consumido. Para isso, existem algumas estratégias de pós-venda, como pedir que o público avalie, em uma escala numérica, o quão satisfeito está com a entrega da comida.

Nessa classificação, você deve identificar junto ao cliente como o entregador se saiu no serviço e registrar quanto tempo a lanchonete ou a cafeteria preparou a refeição. Com o resultado das pesquisas de satisfação, o gestor consegue superar erros e melhorar a qualidade dos serviços oferecidos.

8. Como escolher as embalagens adequadas?

Não há dúvidas: o contato com os clientes é um dos principais elementos para você ter sucesso no seu serviço de delivery. Porém, outro ingrediente importante para ter êxito nessa empreitada envolve a escolha de embalagens apropriadas para o transporte de alimento, permitindo que o compartimento não se danifique durante a viagem.

Para saber que embalagem é mais adequada para a sua marca, é importante identificar o produto a ser comercializado. Alimentos como pizza, hambúrguer, coxinhas salada, doces e bebidas, por exemplo, exigem, cada qual à sua maneira, diferentes compartimentos para o transporte desde a cozinha do estabelecimento comercial até a mesa do cliente.

No mercado, existem diferentes tipos de embalagem para alimento. A começar pelo tradicional marmitex (almoço e jantar executivos), o qual pode ser confeccionado em isopor ou alumínio, em alguns casos sendo dividido em compartimentos para as porções de comida.

Já para quem trabalha com pizza, o papelão é um material que ajuda a conservar o sabor e a temperatura da massa, oferecendo praticidade de manuseio e a possibilidade de personalização para a marca.

Por outro lado, embalagens de alumínio e isopor conservam o alimento por mais tempo, mas podem encarecer o valor dos itens oferecidos no seu cardápio. O plástico, por fim, é bastante recomendado para lanches, mantendo a temperatura do alimento por alguns minutos e preservando a aparência da comida.

Assim, coloque na ponta do lápis as propriedades das embalagens — alumínio, isopor, plástico e papel — em relação aos itens que você vai servir. Além disso, consulte os entregadores sobre a experiência deles com cada material no serviço de delivery.

9. Como lidar com o negócio delivery em tempos de pandemia?

Doenças contagiosas costumam afetar a forma como as pessoas consomem produtos alimentícios. Atualmente, o surgimento do novo coronavírus coloca em xeque o funcionamento do food service. Por outro lado, também aponta para soluções rápidas na entrega de comida.

Em tempos de pandemia, o setor alimentício deve seguir à risca a recomendação de órgãos de saúde e autoridades sanitárias. No mundo, uma das principais medidas para evitar a disseminação do vírus é a quarentena, que propõe a reclusão social e altera o fluxo de pessoas em lanchonetes e cafeterias, por exemplo.

Para lidar com os efeitos da pandemia sobre os empreendimentos de food service no Brasil, o serviço de entrega de comida surge como opção para reduzir o contato com o público e continuar em funcionamento. Por meio dele, é possível abastecer as pessoas com refeições em casa e manter o comércio em funcionamento, evitando desemprego e maior desaceleração na economia.

Porém, é preciso ter cuidado com a preparação da comida no seu empreendimento. Como a transmissão do coronavírus se dá, principalmente, pelas gotículas de saliva no ar, por objetos e superfícies contaminados e pelo contato das mãos até os olhos e a boca, você deve investir na higienização do seu negócio e deixar a equipe bem informada sobre a situação.

Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes e o Ministério da Saúde, algumas medidas ajudam os estabelecimentos de food service a produzir comida de qualidade e evitar o contágio por coronavírus.

É o caso do cuidado redobrado ao manusear alimentos e superfícies compartilhadas na cozinha. Antes de tocar nos insumos, recomenda-se que a pessoa higienize bem as mãos com água e sabão neutro, tendo cuidado com outras partes expostas do corpo.

Na mesma linha, utensílios utilizados na preparação dos alimentos (como facas, panelas e pratos) devem ser limpos com frequência, para evitar a chance de contaminação.

Comprometa-se, também, a deixar materiais de higiene (como álcool em gel com concentração de 60 a 70%) em locais visíveis para os colaboradores. Além disso, cuide para manter o ambiente ventilado, seja com circulação de ar pelas janelas, seja com ar-condicionados e ventiladores limpos.

Tomando as medidas de higiene e conscientizando a sua equipe de trabalho, você consegue expandir os negócios e chegar a muito mais clientes com o serviço de entrega de comida em domicílio, mesmo em tempos críticos.

10. Conclusão

Neste post, você entendeu como o serviço delivery é uma opção bastante viável em tempos de doença contagiosa como a COVID-19. Para ter sucesso nessa empreitada, um bom plano de negócios ajuda a delimitar objetivos e a traçar metas possíveis, em determinado tempo e com os recursos financeiros e humanos do seu pequeno negócio.

Além disso, você aprendeu como definir o cardápio, divulgar a nova aposta do seu empreendimento de food service, em que ferramentas apostar para ter gestão financeira e administrativa, qual é a melhor forma de fazer contato com clientes e como escolher embalagens adequadamente.

Por último, o conteúdo reforçou como montar um negócio de entrega de alimentos em meio à pandemia, dando dicas para você manter a higiene na cozinha e em outros ambientes comuns da sua cafeteria ou lanchonete e melhorar a capacitação da sua equipe ao lidar com uma situação excepcional de segurança alimentar.

O tema foi útil para você, não é mesmo? Então, compartilhe conosco a sua experiência ao abrir um serviço de delivery e expandir o seu empreendimento de food service. Deixe um comentário nesta postagem!

Você também pode gostar

Deixe um comentário