Saiba que erros evitar ao gerenciar o seu pequeno negócio!

7 minutos para ler

Gerenciar um pequeno negócio exige dedicação, força de vontade e muita organização. Não registrar informações relacionadas às compras e vendas pode prejudicar o lucro da lanchonete, além de afetar a vida de toda a família — que acaba sendo impactada por esse fato.

O problema de muitos microempreendedores é o desconhecimento sobre as melhores práticas de gestão — o que acaba resultando em muitos erros no dia a dia. No longo prazo, isso pode comprometer as finanças e até mesmo provocar o fechamento do negócio. Não é isso que você deseja, correto?

Para ajudá-lo, separamos algumas dicas sobre gestão e empreendedorismo. Venha ver!

Qual é a importância de ter uma gestão eficiente?

Um negócio só vai para a frente se o dono (gestor) está de olho em tudo que ocorre à sua volta. Ele precisa conhecer como está o total de vendas, gerenciar o estoque, fazer compras, saber qual é sua margem de lucro, manter uma boa relação com clientes e ainda ficar de olho no mercado. É muito coisa, não é mesmo?

Mas então, por que se preocupar com a gestão? A forma como você lida com as demandas do dia a dia e com o dinheiro do seu negócio é que vai determinar se você venderá mais ou fechará as portas.

Muitos erros cometidos na administração dos negócios podem deixar os clientes insatisfeitos, gerar falta de dinheiro em caixa para comprar produtos e até prejudicar a sua retirada.

Por isso, antes de sair realizando novas compras para o seu estabelecimento, nós sugerimos que fique de olho no próximo tópico. Assim, você poderá entender como gerir melhor o seu negócio e vender mais.

Quais são os principais erros ao gerir um pequeno negócio?

Separamos os erros mais comuns cometidos por microempreendedores. Esses problemas ocorrem muitas vezes porque eles têm tantas atribuições em suas rotinas que não conseguem cuidar bem de tudo. Que tal conhecer essas falhas para evitá-las?

Não cuidar das finanças

Talvez você até já tenha ouvido falar que nem tudo que entra é lucro. Contudo, o difícil é entender isso na prática, não é mesmo?

Um erro comum dos pequenos negócios é a falta de gestão financeira. Por exemplo: o empresário precisa saber quanto custa o produto, quanto se gasta até que o produto esteja pronto para ser vendido e qual é a margem de lucro. Só assim poderá saber se está cobrando o preço correto pelo item.

Em uma lanchonete, por exemplo, se você compra um pão de queijo congelado a R$ 0,50 a unidade e revende pronto por R$4,00, não pode considerar que terá um lucro de R$ 3,50.

Por quê? Você tem vários custos embutidos no seu negócio que não foram considerados, como a conta de luz, a conta de água, gasto com gás, aluguel, entre outros. Logo, os valores desses serviços precisam ser considerados na hora de precificar seus produtos.

Não ouvir a clientela

Outra falha comum em algumas lanchonetes é achar que o cliente que reclama ou faz alguma sugestão para o negócio é um cliente chato. Existem pessoas que têm o hábito de falar mal, mas também há aquelas que gostam do seu estabelecimento e só querem ajudar.

Portanto, procure abrir espaço para o cliente dar a sua opinião (também conhecido no meio empresarial como feedback) e avalie se o comentário faz sentido para você. Muitas vezes, pequenas mudanças no ambiente ou na forma de atender os clientes podem gerar bons resultados.

Não estudar o mercado

Você sabe o que seu concorrente está fazendo? Muitas pessoas se concentram tanto em realizar as tarefas do cotidiano da empresa que deixam de olhar para o vizinho. Esse é um grande erro que você não pode cometer!

Se você não acompanha as tendências do mercado e esquece de observar seus concorrentes, pode deixar de conhecer tecnologias, produtos e ideias úteis para o seu negócio.

Portanto, sugerimos algumas ações que podem ser feitas pensando nisso:

  • faça pesquisas para aprender mais;
  • visite os estabelecimentos dos concorrentes, observe o movimento dos clientes e os produtos que são consumidos;
  • conheça diferentes opções de fornecedores e teste seus produtos;
  • fique atento às notícias relevantes para o seu negócio.

Tudo isso pode ajudá-lo a ter ideias incríveis para melhorar a sua lanchonete!

Confundir finanças pessoais com as do seu negócio

Outro erro comum em pequenos negócios é o dono utilizar a conta da empresa para pagar despesas pessoais e vice-versa. Isso é um problema muito grave, pois prejudica o controle e pode trazer prejuízos a longo prazo.

O ideal é separar as despesas, abrir uma empresa e criar uma conta própria para a lanchonete. Dessa maneira, você consegue deixar as contas em dia, organizadas e tudo fica mais fácil de ser visto e consequentemente, controlado. Além disso, você pode deixar sempre algum dinheiro em caixa para manter um capital de giro, sem ter o receio de gastar sem perceber.

Quer ver uma dica para criar uma conta específica para sua lanchonete? Bancos tradicionais como Banco do Brasil, Bradesco e Santander já criaram opções específicas para microempreendedores com um pagamento de uma taxa reduzida e a opção de uso de máquina de cartão.

Além disso, o Banco Inter é uma opção mais moderna que não cobra taxas do microempreendedor. Então, é só escolher a opção que mais lhe agrada!

Não investir na melhoria de processos

Como são os seus processos? Você controla seu estoque de alguma forma eficiente de forma a ter sempre produtos disponíveis para os clientes ou de vez em quando percebe que está sem alguns itens para vender?

Um erro muito comum de muitos proprietários de lanchonete é a falta de processos. E isso dificulta bastante a organização das rotinas e a manutenção da qualidade no atendimento e dos produtos. Sendo assim, procure criar boas práticas para verificar se os produtos estão bem armazenados, se há itens em estoque, os prazos de validade e quando é o momento ideal de reabastecer o freezer.

Também é importante criar um padrão de apresentação dos produtos entregues aos clientes, já que isso demonstra preocupação com a qualidade e por fim, ajuda a aumentar a fidelização.

Uma maneira de melhorar os processos dentro do estabelecimento é estar sempre conversando com quem executa o trabalho. Quem trabalha no negócio no dia a dia entende muito bem as dificuldades e pode apontar oportunidades de melhoria.

Vale lembrar que o dono de um pequeno negócio precisa ficar atento para evitar erros que possam prejudicar a sua lucratividade. Nesse sentido, é fundamental se organizar pelo menos por trimestre, tendo um número de expectativa de vendas, planejando as melhores formas de investir o seu dinheiro e assim, programar melhorias no seu estabelecimento.

Gostou das dicas? Então, vamos crescer juntos! Aproveite para compartilhar esse conhecimento nas suas redes sociais e ajude mais pessoas que passam pela mesma situação!

Você também pode gostar

Deixe um comentário